4 passos para validar sua idéia de negócio

Quantas vezes você já teve uma ideia de negócio durante o banho ou mesmo em meio ao trânsito, na ida ao trabalho? Uma vez? Cinco vezes? Vinte vezes? De todas elas, quantas evoluíram e se tornaram realidade? De fato, transformar uma ideia crua em uma oportunidade concreta de empreender é um processo complexo e muitas vezes longo, que envolve diversos fatores. Mas uma simples validação inicial pode facilitar - e muito - a concepção inicial do negócio. Entenda porque. Não interessa se você possui rios de dinheiro para investir ou se precisará bater na porta de uma incubadora para alavancar a sua ideia e transformá-la em negócio. Sem planejamento, a chance de tudo dar errado é enorme. Planejar significa passar por uma série de etapas que gradativamente qualificam o conceito inicial até que seja possível elaborar um plano de negócio. É a partir dele que você conseguirá atrair os olhos de investidores ou adquirir segurança suficiente para investir as suas próprias economias. - Mas um plano de negócio é algo muito avançado. Eu acabei de ter a minha ideia! Não há como validá-la de forma mais rápida? Sim, nós entendemos o seu ponto. A grande maioria dos empreendedores não possui tempo hábil ou mesmo orçamento para seguir à risca a cartilha necessária para o desenvolvimento de um plano de negócios. Mas graças à internet - em especial ao Google, é possível validar diversos pontos de uma ideia de negócio em 4 passos mais simples do que você pensa. Veja quais são:

# 1: Elabore um Business Model Canvas

Quais são os potenciais clientes da sua idéia? Como a sua idéia gera valor para estes clientes? Por quais canais a sua empresa vai vender e se relacionar com eles? Que recursos e parceiros são fundamentais para a geração do valor? Se você ainda não se questionou quanto a isso, é hora de colocar a mão na massa e desenhar - literalmente - um modelo de negócio. O livro Business Model Generation revolucionou a forma de se desenhar modelos de negócio e traz, hoje, uma das metodologias mais utilizadas no mundo para tal. Através de um quadro simples e intuitivo - canvas, é possível responder a uma série de perguntas-chave que, ao final do processo, oferecem uma visão coesa do funcionamento do negócio. Isso tudo apenas trabalhando em cima da ideia! Se não estiver preparado para comprar o livro, você pode procurar por material no Google. A internet está cheia de blogs com conteúdo gratuito para lhe ajudar a montar o seu modelo de negócio. Que tal começar pelo nosso template gratuito de canvas? Basta fazer uma cópia do arquivo, disponível aqui.

# 2: Crie uma Landing Page!

Quando você precisa comprar um tênis e quer pesquisar pela melhor opção ou pelo melhor preço, você começa pelo Google, certo? Para isso, normalmente você busca por palavras específicas que remetem ao produto. O mesmo acontece com a maioria das pessoas ou empresas que buscam produtos e serviços. É por isso que você precisa pensar em palavras-chave que definam o seu negócio! O Google Trends pode lhe ajudar mostrando relatórios com o histórico de buscas de todos os termos possíveis e imagináveis. No exemplo acima, provavelmente você será redirecionado para uma loja de calçados online, como a Netshoes. Mas a grande sacada é a seguinte: não há necessidade de um site complexo ou mesmo um produto ou serviço elaborado, se a sua intenção é somente validar o potencial da ideia. Landing pages são sites criados para atrair potenciais clientes a partir de possíveis buscas no Google e redirecioná-los para alguma ação que gere potencial de venda, como cadastrar um email, por exemplo. A grande maioria delas redireciona o visitante para o site oficial da empresa, mas muitas são criadas justamente para testar se um produto ou serviço possui mercado. Ah, lembra das palavras-chave? Elas devem constar no decorrer do texto da landing page, para posicioná-la melhor nas buscas do Google. Como sempre, a internet contém opções para todos os gostos. Se você já possui um site, pode utilizar um template para WordPress ou Joomla. O Theme Forest oferece muitas opções pagas de qualidade, com preview online. Uma breve busca no Google e você não terá dificuldades para encontrar templates gratuitos, também. Não possui site ainda? Sem problemas! Aplicativos como o Lander e o Unbounce hospedam sua landing page e trabalham com período gratuito de testes.

# 3: Divulgue. Divulgue. Divulgue.

Com o seu Business Model Canvas em mãos e a sua landing page criada, é hora de partir para a divulgação. Afinal, se a sua página não receber acessos suficientes, a validação da sua ideia de negócio pode ficar comprometida, com base em informações muito rasas. Comece pelas redes sociais. Facebook, LinkedIn e Twitter são excelentes opções gratuitas de divulgação. Peça ajuda aos seus amigos ou impulsione uma publicação por R$14,00 e verifique o resultado. Considere também investir alguns reais em uma campanha de Google AdWords para posicionar sua landing page entre as primeiras buscas das palavras-chave relacionadas à sua ideia de negócio - viu como elas são importantes?

# 4: Analise os resultados

Após um tempo com a sua landing page no ar e algumas campanhas rodando, seja no Facebook ou no AdWords, você terá informações suficientes para respaldar uma decisão mais relevante quanto ao potencial da sua ideia de negócio. Mas para isso, precisará efetuar uma análise coesa dos dados obtidos. Saiba aproveitar a base de informações que você coletou. Verifique que palavra-chave gerou mais resultado; entenda o tipo de público que se interessou pela sua ideia; elabore gráficos; refaça o processo mais uma vez, alterando algumas variáveis; compare campanhas distintas! As possibilidades são enormes, basta trabalhar as informações da forma correta.

Próximos passos

E então, conseguiu validar a sua ideia? Analisou os dados e percebeu que ela possui, de fato, potencial de mercado? Talvez seja hora de deixar as incertezas de lado e iniciar a concretização do seu negócio. Veja quais são os 4 passos para colocar a sua empresa na internet e ganhar autoridade online.
Eduardo Niederaurer
Eduardo Niederaurer
Formado em Administração pela UFSC, trabalhou por muito tempo com inteligência de negócios antes de mergulhar no mundo da tecnologia. Hoje, conta com ambos para difundir a cultura Cloud Computing por Santa Catarina.